Radio Papo Cabeça

Radio Papo Cabeça
Informação com Responsabilidade

Tradutor Online

sexta-feira, setembro 19, 2014

INAUGURAÇÃO DO CARTÓRIO - MELHORES MOMENTOS

ESSES SÃO OS MELHORES MOMENTOS DO EVENTO DE INAUGURAÇÃO DA NOVA SEDE DO CARTÓRIO DO 6º OFÍCIO DE IMPERATRIZ

sexta-feira, setembro 12, 2014

O LÍDER SAMURAI

Prof. Antônio Madiflavio Oliveira Ferreira – www.globalmidia.ppg.br - globalmidia.imperatriz@gmail.com
(99)3528-2576, (99)9125-5848, (99)81495455

Os japoneses nos fascinam com suas história e mitos, além de seu exemplo de liderança e foco na qualidade, mas uma de suas tradições que mais nos chama atenção é a tradição “Samurai” que é uma das responsáveis  por todos os ritos existentes no Japão atual.
Os samurais (em japonês “aquele que serve”) formavam a classe guerreira do Japão feudal (ou bushi). Esta classe tinha um grande status social durante o governo militar conhecido como xogunato.
Em 1868, com a restauração meiji eles deixaram de existir como classe, quando o imperador retomou o controle do país. Os samurais observavam um código de honra não-escrito, conhecido como Bushido (caminho do guerreiro), que prezava a honra, a lealdade e a integridade por toda a vida, e que era baseado em algumas virtudes que podem ser aplicadas até hoje por um bom gestor. 
Essas virtudes se dividem em 4 G’s que podem ser aplicados às pessoas que desejam se tornarem um líder de sucesso em nossos dias atuais.
       Giri: (obrigação, dever, justiça), um forte laço que une as pessoas. 
  Gisei: (sacrifício), representa a dedicação ao trabalho, mesmo afastando-se da família temporariamente. 
  Gaman: (tolerância, perseverança, resistência), é aguentar aquilo que pode parecer insuportável. 
  Gambaru: (esforço, persistência), a capacidade de se envolver de forma profunda e determinada, manter-se firme e forte. Características obrigatórias de um bom gestor.

Para se tornar um guerreiro samurai digno e honrado é necessário além dessas virtudes passar por um processo de transformação interna e buscar trilhar “O Caminho do Guerreiro” que tem como base os seguintes passos.

1.       Ken (visão)  e  Kan  (conhecimento): Através de uma visão de futuro, clara e significativa, a pessoa pode vislumbrar melhor suas possibilidades que, junto com o conhecimento do contexto e dos detalhes ajudam a tomar as decisões mais sábias. Podemos fazer um paralelo com o conhecimento da estratégia da organização e com o conhecimento do ambiente interno e externo.
2.       Kaizen (melhoria contínua): Um samurai está sempre treinando e buscando a perfeição para ser um guerreiro melhor hoje do que foi ontem. Esse é um conceito amplamente difundido entre os praticantes da qualidade total nas empresas e aplicado por meio dos 5s. “O que não é medido está aderiva”  kaoro Ishikawa

3.       Mu (desprendimento): O desapego, que tem raízes na cultura Zen budista, influenciadora do bushido. Prega que os interesses do grupo devem prevalecer, não os do indivíduo. Ter um líder que põe seus interesses próprios acima dos interesses da empresa é determinar o seu fracasso e desagregação.
4.       jinkaku (Caráter): Outro princípio herdado da filosofia Zen budista, a ideia de que o trabalho deve ser visto como uma forma de engrandecer o caráter.
5.       Mushin (atitude mental): Segundo o código dos samurais “é difícil derrotar os inimigos; é fácil derrotar a si mesmo”. Assim, todo treinamento era focado no autoconhecimento, que gerava a autoconfiança e, por consequência, a segurança na tomada de decisão em momentos de crise e dificuldade. Há muitas referências na cultura oriental a respeito do auto conhecimento. Sun Tzu já havia falado sobre a importância dele em “A arte da guerra”, muito antes de existirem os samurais. Atualmente, o conhecimento das próprias fraquezas e forças é determinante para o sucesso de um gestor.
6.       Amae (confiança): O samurai acredita, antes de tudo, que as pessoas, de forma geral são boas e honestas. O pressuposto básico de todo relacionamento humano é a confiança. Compartilhar refeições, trocar presentes, participar de fases da vida são formas de construir o “amae”.
7.       Ue (habilidades escondidas): Ao contrário do que acontece na cultura ocidental, para os orientais é comum manter-se escondido, mantendo um perfil modesto, restrito, contido e reservado, sem vangloriar-se ou exibir-se deliberadamente, deixando para revelar suas forças e habilidades no momento apropriado e de forma estratégica.
8.       Haragei (intuição, ou “pensar com o estômago”): Entre os orientais, a intuição é fundamental aos seus instintos. Era um dos traços de famosos empresários japoneses, como Konosuke Matsushita, Soichiro Honda ou Akio Morita compartilhavam. A observância aos detalhes, a visão holística, o conhecimento tácito e a disciplina constante na educação fazem parte deste preceito.
9.       Henman (harmonia): Desde as artes marciais, cerimônias, artes, tudo na cultura japonesa baseia-se no equilíbrio e na harmonia. Nos negócios, a paciência é uma virtude que se traduz em longas rodadas de negociação e a busca da compreensão da posição do outro ajuda a encontrar soluções.

O que fazer para ser um grande líder seguindo o caminho do guerreiro?
Provoque o surgimento permanente de boas ideias no ambiente de trabalho
Não basta ter somente uma boa ideia é necessário transformar essa ideia em uma oportunidade real de negócio que gere lucro para a empresa, ideia sem resultado é o mesmo que avião sem     voar não serve para nada, e toda ideia possui um ciclo de ida útil.

       Pesquise e Desenvolva novas ideias sempre
       Implante faça acontecer não deixe ficar no mundo da fantasia
       Crescimento bem acompanhado é um passo importante para o sucesso de uma ideia.
       Estabilização controlada é o principal objetivo mas evitando o comodismo
       Morte identificada antecipadamente toda ideia tem um tempo de vida determinado e o líder tem de visualizar esse final e já criar uma nova estratégia para evitar a morte fazendo-a renascer.

Tenha atitudes de grandes lideres

       Comprometido em tudo que faz.
       Autodidata não espera entrar em um curso para aprender busca conhecimento permanentemente.
       Auto motivado não depende dos outros para gerar a força necessária para agir.
       Auto crítico faz uma avaliação de si mesmo e de suas ações o tempo todo buscando sempre a melhoria continua.
       Possui auto conhecimento pessoas de seus pontos fortes e seus pontos fracos.
       Autônomo age com pró atividade e assertividade.
       Autoconfiante mas humilde sem si achar acima das outras pessoas.
       Visão estratégica continua focada em seus objetivos.
        
Arigato Gozaimashitá

         Fontes de pesquisa
                   Sites 
www.bushido-online.com.br
www.niten.org.br
Filmes
O Ultimo Samurai
Pearl  Harbor



Email

Onde já estive