Radio Papo Cabeça

Radio Papo Cabeça
Informação com Responsabilidade

Tradutor Online

quinta-feira, janeiro 17, 2013

Parceria Amicro Imperatriz e Idealize Projetos econômicos


Amicro Imperatriz

A Amicro Imperatriz fecha parceria com a empresa Idealize projetos no fornecimento de serviços de orientação, consultoria e Elaboração de projetos Econômicos Financeiros aos Associados seguindo a apresentação abaixo:

Orientação em gestão financeira



·         Assessoria mensal individualizada e agendada na sede da AMICRO IMPERATRIZ
·         Aspectos abordados:
o   Análise de custos
o   Análise de faturamento da empresa
o   Aspectos organizacionais e mercadológicos
o   Orientação para correção de problemas encontrados
o   Relatório de orientação
·         Investimento
o   R$ 67,80 mensal para sócios Amicro
o   R$ 169,50 mensal para não sócios da Amicro

Consultoria em gestão financeira


·         Visita pessoal nas instalações da empresa
·         Relatório de diagnostico de problemas e soluções
Investimento por hora de trabalho presencial
o   R$ 150,00(cento e cinqüenta reais) não sócios Amicro
o   Sócios da Amicro tem 40% de desconto R$ 90,00 por hora de trabalho presencial.


Projetos viabilidade econômica e captação de recursos tem por objetivo a captação de recursos junto aos bancos de fomento como BNDES,BNB,BASA,BB,CEF entre outros.


·         Projeção econômica
·         Definição organizacional (Missão, visão e valores da empresa)
·         Definição da capacidade produtiva/operacional
·         Fluxo operacional
·         Descrição de cargos e funções
·         Plano de carreira e benefícios
·         Determinação de investimento
·         Analise de mercado consumidor, concorrente e fornecedor
·         Analise SWOT
·         Estratégia de marketing
·         Previsão de faturamento
·         Análse de investimento através de pay back
·         VPL e taxa interna de retorno
·         Demosntrativo projetado DRE
·         Fluxo de caixa
·         Balanço patrimonial
Investimento para elaboração de projetos
o   2,5% sobre o valor do projeto
o   30% de desconto para Sócios da Amicro ficando 1,75% do valor do projeto

Projetos de engenharia


·         Projeto de Arquitetura e instalação
·         Projeto Estrutural
·         SPDA
·         Prevenção e combate a incêndio
·         Aprovação no CREA e prefeitura
·         Investimento
o    Projeto completo R$ 20,00/m²
o   Maquete eletrônica R$ 8,00/m²  

Observação:
·         As taxas do CREA e ALVARÁ não estão inclusas no preço
·         Sócios da Amicro Imperatriz terão desconto de 25%

Equipe gestora das ações

Presidente da Amicro: Antonio Madiflavio de Oliveira Ferreira
Coordenador do Projeto: Prof. Roberto Said Mulky
Consultores:
·         Paul Bruno Bezerra da Silva
·         Jeferson Rodrigues da Silva Brito



sábado, janeiro 12, 2013

Coloque um Samurai para gerir a sua empresa!



Os samurais (em japonês “aquele que serve”)  formavam a classe guerreira do Japão feudal (ou bushi). Esta classe tinha um grande status social durante o governo militar conhecido como xogunato. Em 1868, com a restauração meiji eles deixaram de existir como classe, quando o imperador retomou o controle do país.

Os samurais observavam um código de honra não-escrito, conhecido como Bushido (caminho do guerreiro), que prezava a honra, a lealdade e a integridade por toda a vida, e que era baseado em algumas virtudes que podem ser aplicadas até hoje por um bom gestor. Vamos ver cada uma delas:

Os 4 G’s: 

  • Giri (obrigação, dever, justiça), um forte laço que une as pessoas. 
  • Gisei (sacrifício), representa a dedicação ao trabalho, mesmo afastando-se da família temporariamente. 
  • Gaman (tolerância, perseverança, resistência), é aguentar aquilo que pode parecer insuportável. 
  • Gambaru (esforço, persistência), a capacidade de se envolver de forma profunda e determinada, manter-se firme e forte. Características obrigatórias de um bom gestor.

Ken(visão) e Kan (conhecimento): Através de uma visão de futuro, clara e significativa, a pessoa pode vislumbrar melhor suas possibilidades que, junto com o conhecimento do contexto e dos detalhes ajudam a tomar as decisões mais sábias. Podemos fazer um paralelo com o conhecimento da estratégia da organização e com o conhecimento do ambiente interno e externo.


Kaizen: (melhoria contínua): um samurai está sempre treinando e buscando a perfeição para ser um guerreiro melhor hoje do que foi ontem. Esse é um conceito amplamente difundido entre os praticantes da qualidade total nas empresas.


Mu (desprendimento): o desapego, que tem raízes na cultura Zen budista, influenciadora do bushido. Prega que os interesses do grupo devem prevalecer, não os do indivíduo. Ter um líder que põe seus interesses próprios acima dos interesses da empresa é determinar o seu fracasso e desagregação.



Caráter: outro princípio herdado da filosofia Zen budista, a ideia de que o trabalho deve ser visto como uma forma de engrandecer o caráter.


  • Mushin (atitude mental): Segundo o código dos samurais “é difícil derrotar os inimigos; é fácil derrotar a si mesmo”. Assim, todo treinamento era focado no autoconhecimento, que gerava a autoconfiança e, por consequência, a segurança na tomada de decisão em momentos de crise e dificuldade. Há muitas referências na cultura oriental a respeito do auto conhecimento. Sun Tzu já havia falado sobre a importância dele em “A arte da guerra”, muito antes de existirem os samurais. Atualmente, o conhecimento das próprias fraquezas e forças é determinante para o sucesso de um gestor.


  • Amae (confiança): O samurai acredita, antes de tudo, que as pessoas, de forma geral são boas e honestas. O pressuposto básico de todo relacionamento humano é a confiança. Compartilhar refeições, trocar presentes, participar de fases da vida são formas de construir o “amae”.



  • Ue (habilidades escondidas): ao contrário do que acontece na cultura ocidental, para os orientais é comum manter-se escondido, mantendo um perfil modesto, restrito, contido e reservado, sem vangloriar-se ou exibir-se deliberadamente, deixando para revelar suas forças e habilidades no momento apropriado e de forma estratégica.


  • Haragei (intuição, ou “pensar com o estõmago”): entre os orientais, a intuição é fundamental aos seus instintos. Era um dos traços de famosos empresários japoneses, como Konosuke Matsushita, Soichiro Honda ou Akio Morita compartilhavam. A observância aos detalhes, a visão holística, o conhecimento tácito e a disciplina constante na educação fazem parte deste preceito.


  • Henman (harmonia): desde as artes marciais, cerimônias, artes, tudo na cultura japonesa baseia-se no equilíbrio e na harmonia. Nos negócios, a paciência é uma virtude que se traduz em longas rodadas de negociação e a busca da compreensão da posição do outro ajuda a encontrar soluções.

E aí, que tal colocar esses preceitos em prática na sua empresa e ser um gestor samurai? Seus colaboradores vão gostar e seus resultados logo aparecerão.
Até a próxima!
Flavio Carvalho

quinta-feira, janeiro 10, 2013

CURSO DE FORMAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO PARA O PROFISSIONAL DE SUPERMERCADO


OBJETIVO

Formação ou atualização dos profissionais da área de supermercado e auto-serviço em qualquer departamento ou cargo que a empresa queira contratar.

JUSTIFICATIVA
O cenário dinâmico do setor supermercadista tem gerado um novo modelo de gestão dos negócios,e da mesma forma exigindo profissionais com alto nível de qualificação nesse segmento,As empresas supermercadistas estão preocupadas com a qualificação e a requalificação de seus funcionários e, especialmente as de grande porte, tem se empenhado em seus programas de treinamento. Ao mesmo tempo, a concorrência levou alguns empresários a investir na contratação de pessoal mais preparado, muitas vezes fisgado dos quadros do concorrente. Sem contar que as pessoas já buscam aperfeiçoamento profissional por conta própria, esse curso vem trazer o que existe de mais moderno e completo para alguém que queira fazer carreira nesse segmento que é o que mais cresce no mundo.
METODOLOGIA
Iremos usar metodologia de teoria e prática com visitas técnicas e participação de profissionais desse segmento falando de seu trabalho e de como estão alcançando o seu sucesso profissional nesse segmento de negócio.

CONTEÚDO DO CURSO

Modulo 1 – O SUPERMERCADO
1.1.1        O setor Supermercadista: O comercio tradicional de alimentos, O sistema de auto-serviço, Os supermercados no Brasil, Características do setor, Tipos de supermercado e assemelhados
1.1.2        A Administração de um Supermercado: O consumidor e a concorrência, Estratégia de Marketing, Aspectos tecnológicos.
1.1.3        A estrutura do Supermercado: Grandes empresas, Médias empresas, Pequenas empresas,Cooperativa de compra, A estrutura de uma empresa supermercadista,
Modulo 2 – O PROFISSIONAL DE SUPERMERCADO
2.1 O Mercado de trabalho: Perspectivas de carreira, Requisitos Básicos de um bom profissional, O trabalho na loja (Apresentação pessoal, Cuidados com equipamentos, Atendimento ao cliente, Direito do consumidor, Fiscal de caixa, Operadora de caixa).
2.2 Setores e funções na loja: Organograma Básico, Linha de frente: Setor de frente Caixa e Tesouraria (Fiscal de caixa, Operadora de caixa, Recepcionista, Tesoureiro, Setor de mercearia e Bazar, Gerenciador, Repositor, Promotor de vendas), Setor de perecíveis: Seções principais (Hortifrúti, Açougue, Frios e laticínios, Peixaria, Padaria e Rotisseria),         Retaguarda e Setor de Serviço (Segurança,Manutenção e serviços gerais), Setor de recepção de mercadoria e Setor Administrativo
2.2 empregabilidade e Plano de carreira: orientação para formatação de seu plano de carreira,formatação de um currículo e dicas de como passar por uma entrevista.

INFORMAÇÕES DO CURSO

           Carga horaria: 16h teoria 4h visita técnica
         Numero máximo de participantes: 50 alunos
              Certificação pela Amicro Imperatriz – Associação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.
     Datas de início:02,03, 09,10 e 16 de Fevereiro de 2012
      Horários: Turma 1 - 8:00 á 12:00    Turma 2  - 14:00 ás 18:00
                       Dias da Semana: Sábado e Domingo
    Local: Teorema Cursos Rua Sousa Lima esquina aqueles Lisboa - Centro
Investimento: 100,00
Informações: (99) 3528-2576/(99) 3072-6861 / (99) 81495455 / (99) 91255848Local de Inscrições: Rua Pará n 586 entre Bernado Sayão e Fortunato Bandeira – Nova Imperatriz

REALIZAÇÃO
·         MAD SOLUÇÕES LTDA
·         AMICRO IMPERATRIZ
PARCEIROS
·         TEOREMA CURSOS PARA CONCURSOS

segunda-feira, janeiro 07, 2013

7 passos para elaborar o planejamento da empresa este ano

O início do ano é momento ideal para que os empresários façam um planejamento estratégico para o seu negócio. O Sebrae explica que esta época do ano, os empreendedores devem aproveitar as experiências passadas para buscar novas maneiras de aumentar a eficiência da sua empresa. Pensando nisso, o órgão preparou sete passos que devem ser levados em consideração na hora de elaborar o planejamento do negócio:


  • Atenção às perspectivas de mercado:saber interpretar o ambiente econômico significa vantagem competitiva para o empreendedor. Para 2013, o poder de consumo da chamada nova classe média deve apresentar-se mais uma vez importante. Há também os segmentos que devem reagir bem no próximo ano, como o do agronegócio, que fecha o ano com fortes perspectivas de expansão do faturamento e crescimento da área cultivada.
  • Faça um bom planejamento: com a profissionalização do mercado brasileiro, que ano após ano ganha relevância no cenário internacional, a concorrência se intensifica em todos os setores e, em 2013, não será diferente. Portanto, para acessar novas oportunidades de negócios ou ampliações, os empresários de micro e pequena empresa precisam planejar os seus negócios, esquecendo o comportamento das iniciativas pouco estruturadas e investir na inteligência competitiva e no diferencial. O planejamento de negócios significa pensar e trabalhar o que fazer sobre algo no futuro, melhorando a capacidade de geração de renda. Planejar uma micro ou pequena empresa, também envolve entre outras coisas como previsão dos custos, investimentos, retornos, vendas, lucros e fluxo de dinheiro.
  • Procure administrar o capital de giro: é comum que a intensificação das vendas, provocada pelo período de final do ano, e consequente volume de recursos gerados no saldo da conta corrente da empresa criem uma falsa sensação de lucratividade. Isso faz com que o empresário a promova retiradas, a título de pró-labore, acima do permitido, o que gera sérias dificuldades nos meses subsequentes para o cumprimento dos compromissos junto aos fornecedores.
  • Recomece logo nos primeiros dias do ano: demorar em retomar o comando e o ritmo de sua empresa após o período de relaxamento proporcionado pelas festas de final de ano pode ser prejudicial ao negócio. É preciso redobrar a vigilância sobre o mercado desde o início e se impor novos desafios, que vão desde a gestão do negócio até a busca de novas ferramentas de comunicação e divulgação é fundamental para o sucesso do empreendimento. Chegou a hora também de eliminar as ineficiências, corrigir o percurso, alinhar as metas e estar preparado para os próximos meses.
  • Mantenha-se próximo ao cliente e busque informações: busque maior participação no calendário anual de negócios, participando de feiras de negócios, se relacionando com seu fornecedor e cliente de maneira mais efetiva, direta e próxima. Acompanhe as principais questões econômicas que podem vir a alterar o seu negócio, observando o concorrente e seu público alvo. É preciso ficar próximo aos clientes, investir na capacitação do capital humano, adotar a flexibilidade e apostar na inovação como bandeiras de gerenciamento.
  • Invista na sua equipe: muitas vezes, o foco no curtíssimo prazo faz com que nossos empresários deem pouca relevância ao ato de atrair, reter, desenvolver e engajar pessoas na dinâmica de trabalho. As empresas costumam contratar pelo currículo, mas demitem pelo comportamento. Os empresários precisam enxergar que investir no desenvolvimento e na capacitação de seu pessoal é positivo em médio e longo prazo, proporcionando mais eficiência e gerando economia.
  • Inove no conceito e na comunicação: a inovação é uma das chaves do negócio. É importante ficar atento para que os resultados sejam financeiramente atrativos e tecnicamente acessíveis. As redes sociais se tornaram uma vitrine para as PMEs no Brasil. Mas é fundamental profissionalizar essa atuação, integrando conteúdo, relacionamento e monitoramento. Com essa integração é muito comum que a marca comece a aproveitar oportunidades e interaja efetivamente para ganhar admiradores e defensores nas redes sociais.

Veja 5 passos para tirar sua ideia de negócio do papel em 2013

Para quem tem a meta de abrir uma empresa em 2013, é bom aproveitar as energias renovadas do ano novo para tirar as ideias do papel. Especialistas ouvidos pelo UOL afirmam que, se o empreendedor começar a botar a mão na massa no início do ano e formalizar a empresa até fim do primeiro semestre, é possível já comemorar os primeiros lucros antes de 2014.

Para isso, ele precisa realizar o planejamento logo nos primeiros meses. Segundo o professor de marketing e empreendedorismo da Trevisan Escola de Negócios Dalton Viesti, o período pré-Carnaval é útil para fazer toda a parte de pesquisa inicial, levantamento de informações para elaboração do plano de negócios.

Nesta época, normalmente, a demanda por produtos e serviços é baixa, o que torna as empresas mais acessíveis para fornecer informações. “O ano, no Brasil, só começa depois do Carnaval. A partir daí é que as pessoas começam a gastar mais”, afirma.


Plano de negócios deve trazer informações sobre fornecedores e concorrentes

Veja 5 dicas para transformar sua ideia em negócio

  • 1

    Perfil empreendedor
    O futuro do negócio depende do comprometimento de seu dono. Criatividade, faro para negócios e disposição para enfrentar os altos e baixos podem fazer a diferença para transformar uma ideia em um negócio de sucesso.
  • 2

    Pesquisa
    Estude quem é o seu cliente e como ele gosta de comprar, quem são seus concorrentes, como está o mercado no qual quer investir, onde abrirá sua empresa e quem serão seus fornecedores. Estes dados serão o eixo central do seu plano de negócios, que vai direcioná-lo e orientá-lo nas estratégias de abertura da empresa.
  • 3

    Planejamento
    Com as informações coletadas e o plano de negócios estruturado, é o momento de identificar a viabilidade econômica e comercial do projeto. O planejamento proporcionará uma visão clara e ampla da proposta, facilitando a percepção das oportunidades e dos riscos.
  • 4

    Ponto comercial
    Antes de alugar ou comprar um imóvel para o negócio, consulte a prefeitura de sua cidade sobre a Lei de Zoneamento Urbano para saber se a atividade que deseja exercer é permita na região onde pretende abrir a empresa.
  • 5

    Formalização
    Vencidas as etapas anteriores, o empreendedor deve solicitar seu CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), que lhe dará acesso a linhas de crédito especiais, credibilidade entre outros benefícios.
    Para transformar uma ideia em negócio, o professor diz que é necessário planejamento. O empreendedor deve buscar informações aprofundadas sobre o mercado no qual pretende ingressar, simular orçamentos e elaborar um plano de negócios.
    No documento deve constar informações sobre concorrentes e a região onde o negócio será instalado, qual o foco da empresa, que tipos de produtos ou serviços a empresa vai oferecer, quais os diferenciais de mercado e quem é o público-alvo.

    Além disso, falar com clientes e fornecedores e fazer previsão dos gastos, do faturamento e do lucro líquido são medidas importantes para reduzir riscos na implantação do negócio. “Quando se começa a escrever, surgem os problemas e o empreendedor fica mais preparado”, declara Viesti.

    De acordo com a analista do Sebrae-SP Rafaela Brugnatti, antes de abrir uma empresa, é necessário desenvolver um perfil empreendedor. Estar disposto a assumir riscos e se dedicar quase que integralmente à empresa são características importantes de um empresário.

    “[O empreendedor] precisa, ainda, estar conectado às novidades e tendências de mercado e atento às necessidades dos clientes. Dessa forma, sempre estará buscando a melhoria do atendimento, dos produtos e dos serviços que oferece”, diz.

    Empresas começam a lucrar a partir do sexto mês

    A partir de março, é o momento para ir atrás de documentações e exigências legais para o funcionamento do negócio. O tempo para regularização varia de acordo com a região do país. Empreendedores que iniciarem atividades ainda no primeiro semestre têm a possibilidade de começar a lucrar até o final do ano.
    De acordo com Tales Andreassi, coordenador do centro de estudos em empreendedorismo e novos negócios FGV (Fundação Getulio Vargas), novas empresas, em média, começam a lucrar a partir do sexto mês de atividade. No início, as vendas são baixas e é importante saber que o retorno financeiro não será imediato. “Começar um negócio não é como começar uma dieta.”
    Ter uma reserva de capital é fundamental para suportar os gastos da empresa neste período, diz o professor Dalton Viesti. Por isso, antes de começar o negócio, o empreendedor deve calcular a viabilidade financeira do projeto. “Empreender exige 1% de inspiração e 99% de transpiração. O caminho é longo e é preciso trabalhar muito”, afirma.
    (Com informações do Sebrae-SP)


    Email

    Onde já estive