Radio Papo Cabeça

Radio Papo Cabeça
Informação com Responsabilidade

Tradutor Online

domingo, dezembro 11, 2011

Amicro Participa de Reunião em Brasilia para discutir sobre o Maranhão do Sul

Aluízio Henrique Diretor de agronegócio participa de reunião em Brasilia onde foi discutido sobre a criação do maranhão do Sul.





sexta-feira, dezembro 02, 2011

Oportunidade de Trabalho


A central de vagas da Mad Soluções está disponibilizando as seguintes vagas de Emprego

Seguimento de Segurança predial:

-  Supervisor de equipe técnica
  • Experiencia em gerenciamento de equipe
  • Segundo grau completo
  • Conhecimento de eletrônica e informatica
  • Perfil de liderança

Seguimento de Escola Técnica:

- Gerente Comercial:
  • acima de 25 anos
  • Disponibilidade para viagens
  • Curso superior completo
  • experiencia em Gerir equipes
  • Experiencia em vendas

- Coordenador Comercial:
  • acima de 20 anos
  • Disponibilidade para viagens
  • Segundo grau
  • experiencia em gerir equipes
  • experiencia com vendas externas

- Consultor Comercial:
  • acima de 18 anos
  • Experiência com vendas ou cursos na área
  • Segundo grau completo

Contato e Informações
Flavio Oliviera
(99) 30722720 (99) 91255848
amicro.imperatriz@hotmail.com
skype:madsolucoes

segunda-feira, novembro 21, 2011

VOCÊ Pularia De Um Avião Sem Paraquedas?

01 Agosto 2011
Uma pergunta que faço nos meus treinamentos ou quando converso com algum empreendedor em meus trabalhos é:

Você(s) toparia ganhar 1 milhão de reais para pular de um avião sem paraquedas?

Na grande maioria das vezes a resposta que ouço é: Não!



Completada com argumentos do tipo:

a vida vale mais que isso,
que é uma loucura,
que não é uma proposta séria,
além de inúmeras outras considerações.

Não é uma pergunta para obter uma resposta do tipo sim ou não, mas, um pergunta para refletir, abrir novas perguntas e pensar como agimos frente às oportunidades que aparecem.

Normalmente ninguém questiona coisas básicas antes de responder como:

se o avião está no chão,
se está decolando,
se está a 10 mil pés de altura,
se está pousando. 

As respostas são automáticas, com base no hábito e no que crêem ser a resposta certa. certo. Ninguém questiona nada, só querem responder rapidamente e perdem uma grande oportunidade.

Se o avião estiver no solo quem disse não perdeu.

Seja você um empreendedor, empresário, profissional ou qualquer outra coisa sempre questione as coisas antes de responder não. 

Diante de uma proposta nova diferente ou ousada procure saber mais, perguntar mais, construa cenários, conheça a fundo a proposta antes de descartá-la. 

Afinal, pode ser uma possibilidade única, o momento ideal, um negócio extraordinário.




sexta-feira, novembro 18, 2011

Quem é o empresario Marco Aurélio responsável pelo sucesso do Curso Teorema?

Sou imperatrizense há 15 anos. Antes de vir para cá, morava em Goianésia do Pará. Cidade pequena, onde somente havia escola até o Ensino Médio. Eu, na época, com 17 anos, ministrava aula de matemática como professor substituto, para a 5ª série em um turno e, no outro, aulas de reforço. O dinheiro que ganhava, era para ajudar nas despesas de casa, pois minha mãe era costureira e o dinheiro era insuficiente para nos manter.
Meses antes de terminar o 3º ano do 2º grau do curso técnico de Contabilidade, assimilando a expectativa da maioria dos jovens com quem eu convivia, certa tarde cheguei à minha mãe e disse: 

“-Mãe, estou pensando em parar de estudar. Terminar o 2º grau aqui, já está bom. Ganho cerca de um salário mínimo e posso ainda conseguir mais um emprego à noite, de modo que posso chegar a ganhar quase dois salários, o que para um jovem daqui, está bom até demais.” Minha mãe, com lágrimas nos olhos, falou:

“-Meu filho, tudo o que eu sonhei na minha vida, foi ver um filho meu indo longe, sendo um grande profissional, formado, sendo reconhecido. Sonhei isso para cada um de meus filhos, e pra minha tristeza, vi esse sonho se acabar com todos os seus irmãos, que pararam de estudar por motivos banais e a minha esperança estava em ti. Ao você me dizer isso, apaga a minha última esperança e vou falar pra Deus hoje, que Ele já pode me levar, porque minha vida não terá mais nenhuma novidade.”

Disse isso, chorando. E eu, profundamente comovido, disse:
“-Mãe, eu falei foi só pra lhe testar, eu vou estudar.” Foi a partir dessa conversa que resolvi vir a Imperatriz.

Cheguei aqui com 80 reais no bolso e, para comprar um sapato, porque o meu estava furado. Morava de um lado da cidade e fazia cursinho no outro lado. Na maioria das vezes, ia a pé, por não ter o dinheiro do ônibus. As portas foram se abrindo e consegui alguns alunos de reforço, o que me ajudava, juntamente com os 50 reais que a mãe mandava por mês que, para fazer isso, vendeu quase todos os móveis de casa, para ver um sonho se realizar.

Sete meses, e somente sete, foram decisivos para mudar a minha história. Sete meses, estudando 14 horas por dia. Os livros eram minha obstinação. Fiz o vestibular na UEMA, para Matemática e passei. Quando minha mãe soube, saiu correndo no meio da rua, gritando de felicidade, porque havíamos conseguido realizar a primeira parte do tão esperado sonho. Três anos depois, minha mãe se despediria de nós. Deus a chamou.

Na faculdade, vieram as oportunidades de trabalho, e por necessidade tive de abraçá-las, o que me fez, por várias vezes, trancar o curso. Mais tarde, fundaria um cursinho pré-vestibular, o que me sufocaria no trabalho e adiaria muito mais a colação de grau.

Hoje, o nosso cursinho cresceu, e com ele, as realizações e responsabilidades. O diploma, já não é a prioridade que antes era, porque antes queria me formar aos 22 anos, o que não foi possível. No dia 18 de março de 2010, aos 30 anos, graduei-me pela Universidade Estadual do Maranhão. A minha vida mudou muito nessa busca. E como mudou. Casei, tenho um filho, o Júnior, e a maneira de ver a vida mudou. Muitos me criticavam por eu ter demorado para me formar, mas cada um sabe de suas necessidades. Essas palavras não são de justificativas, porém, de reflexão de que, ainda que demore, é possível viver um sonho. Parei para aproveitar as oportunidades. Não me arrependi. Voltei, com a força de minha esposa, que me ajudou a organizar o tempo e, enfim, concluir essa etapa.

Reflito também sobre o meu desejo de outrora chegar cedo. Eu queria me formar aos 22 anos, e não foi possível. A todos que por alguma razão adiaram seus projetos, melhor do que chegar cedo, é chegar na hora certa. É estar preparado. Não me arrependo de ter parado, era necessário, e cada pessoa tem sua realidade.

Todo dia é dia de se resgatar sonhos ou criá-los. Agradeço a Deus e à minha mãe, por não ter me deixado parar, quando terminei o 2º grau, e à minha esposa, Alessandra por ter me incentivado a continuar. Agradeço à UEMA, por ter dado suporte a esse sonho, que possibilitou abrir novos horizontes.

O simbolismo do dia da formatura foi muito gratificante. Mesmo com todo o meu costume com cerimônias de formatura e ainda estando me formando com tantos ex-alunos, emocionei-me e lembrei de minha mãe correndo, nas ruas de Goianésia, gritando, chorando de felicidade e sei que ela estava ali, feliz por eu ter-me tornado um cidadão de bem. É a ela, Maria Edinalva da Silva Azevedo, minha mãe, minha guerreira, a quem dedico esta conquista. 

Art. publicado no Jornal O Progresso em 28/03/2010

MINHA FAMÍLIA MEU GRANDE SUCESSO!!!

quarta-feira, novembro 16, 2011

Dia do feirante em São Luis do Maranhão

O dia do Feirante foi comemorado com um grande baile anual em são luis do maranhão patrocinado pelo presidente da Amicro São Luis - Tito Feitosa Junior

Presidente da Amicro Imperatriz junto com o Presidente da Feira do Bairro de Fátima  Coordenador desse evento
Presidente da Amicro Sâo Luis Tito Feitosa Junior e sua Esposa
Mais de Mil pessoas participaram desse baile dançante e divertido


Muita musica ao vivo 
 





FEITOSA ALIMENTOS



sábado, novembro 12, 2011

Presidenta Dilma sanciona as alterações no Simples Nacional

Em seu discurso, a presidenta da República reconheceu a COMICRO, sob a presidência do empresário José Tarcísio da Silva, como entidade de representação do setor de micro e pequenas empresas.



Na manhã desta quina-feira (10) o segmento das microempresas e empresas de pequeno porte obteve uma grande conquista, pois sancionada pela presidenta da República Dilma Rousseff a Lei Complementar 77/11 que altera o Simples Nacional. Dentre os benefícios está à ampliação em 50% do teto de faturamento das ME e EPP. O da microempresa sobe de R$ 240 mil para R$ 360 mil e o da pequena empresa passa de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões.

O limite máximo de faturamento bruto anual do Empreendedor Individual também vai aumentar de R$ 36 mil para R$ 60 mil por ano. E o melhor, é que essas medidas já começam a valer a partir de 1º de janeiro de 2012. Esses ajustes abrangem mais de 5,6 milhões de empresas que estão no Super Simples.

Outro benefício garantido pela sanção desta lei é o parcelamento em até 60 meses de débitos do Simples Nacional. Além disso, também haverá a atualização dos valores de todas as 20 faixas do sistema tributário, com a manutenção das alíquotas atuais, entre outros.

“Hoje damos uma demonstração de que estamos preocupados com a economia real, com o que gera riqueza para o país e com o que vai assegurar que tenhamos todas as condições de continuar investindo”, afirmou a presidente Dilma após a sanção. Ainda durante seu discurso, a presidenta Dilma reconheceu a COMICRO, sob a presidência do empresário José Tarcísio da Silva, como entidade de representação do setor de micro e pequenas empresas.

"A prova do bom trabalho que a COMICRO vem fazendo é este, o de reconhecimento perante a presidenta Dilma de que nosso sistema, é de fato, a entidade que representa as microempresas e empresas de pequeno porte no país", disse o presidente da COMICRO, José Tarcísio da Silva.



Clique aqui e escute na íntegra o discurso da presidenta Dilma Rousseff.



Foto de Roberto Stuckert Filho

quarta-feira, novembro 09, 2011

O segredo - Assista e aprenda a dominar sua vida e seus resultados.

Autor: Shirley Pordominsky
Você pode se lembrar de alguma ocasião em que chegou a suas mãos o que você mais queria antes do esperado ou sem esperá-lo? Você Tem pensado em alguém e de repente ela se comunica contigo? Você encontrou no lugar preciso no momento preciso?
Sempre estamos atraindo, onde focamos nossa atenção, nós atraímos – assim o desejemos ou não –.
(Conceito sobre a Lei da Atração por Abraham-Hicks)
A maior parte das vezes atraímos para nossas vidas por coincidência mais que por deliberada consciência. Passamos o dia focalizados em problemas que precisamos resolver, ou em assuntos que não nos fazem sentir bem ou não parecem estar corretos.
Ao fazer isto, realmente estamos atraindo mais problemas, mais do que não queremos, mais do que nos faz sentir mal ou parecem estar incorretos.
Você é um grande imã
Um ímã não trata de atrair, simplesmente a partir de certa distância que atrai.
Nós humanos somos poderosos ímãs e podemos usar este poder para atrair mais do que queremos para nossas vidas; simplesmente colocando atenção a nossos pensamentos e desejos.
Atraímos o que pensamos. Se pensarmos em falta de algo, atraímos mais do mesmo. Se pensarmos em algo que desejamos, que gostamos; atraímos mais do que nós gostamos e nos dá felicidade. Isto soa incrivelmente simples, e o é, bem simples.
Pense no rádio. O rádio tem várias estações, para sintonizar uma estação a buscamos em uma freqüência específica. O mesmo acontece com nossos pensamentos, tão logo pomos nossa atenção em algo, ali começa seu caminho para nós.
Para se libertar de algo que você não quer, simplesmente, sintonize em uma diferente vibração ( freqüência ou estação de rádio).
A maneira como eu vejo a Lei Universal da Atração é assim:
- Tenho uma idéia clara do que quero
- Elevo a vibração
- Permito que o que quero chegue em mim
Para chegar nos itens acima, o primeiro é reconhecer em que estão focalizados nossos pensamentos, se o primeiro que se te vem à mente é o que você não quer, muda de pensamentos fazendo esta pergunta: Isto é o que não quero, o que é o que eu quero?
Ou seja traz a teus pensamentos o que realmente quer. Ter claridade é o passo mais importante para poder manifestar o que quer, para uns alcançar claridade é um procedimento difícil ou frustrante; para outros pode ser rápido para alcançar uma visão clara do que deseja.
O segundo é elevar a vibração agregando sentimentos a nossos pensamentos. É importante que você se sinta bem com o que quer, se sentir bem eleva a vibração do que quer.
O terceiro é eliminar a dúvida que é possível. Deixe ir toda classe de resistência e creia que o que quer virá a ti, simplesmente porque isso é o que quer. Quando você elimina as dúvidas – resistência – esta permitindo, aceitando receber o que você deseja em tua vida. Se tiver dúvidas, você pode se perguntar:
Há alguém neste planeta que tem o que eu desejo? – Quando tem evidência que é possível para alguém mais, é possível para ti. Quando você sente a possibilidade você eliminou a dúvida. É possível para ti.
Você pode concordar de alguma ocasião em que chegou a você o que você mais queria antes do esperado ou sem esperá-lo? Você Tem pensado em alguém e ela de repente se comunica contigo? Você encontrou no lugar preciso no momento preciso?
Para este fenômeno temos diferentes nomes: destino, carma, coincidência, sorte, todos estes nomes descrevem o que é a Lei da Atração, faz uso dela em forma deliberada
Tradução – www.suamente.com.br – Aprenda mais sobre sua mente!
Fonte: http://www.enplenitud.com/nota.asp?articuloid=8203

Simbologia

Assista o segredo agora e comece a treinar sua mente.


terça-feira, novembro 08, 2011

Entrevista do Secretario de Desenvolvimento Econômico a Revista Yes Negócios Segunda Edição

“Nosso objetivo é atrair investimento”

Atrair investimentos de grandes empresas e torna Imperatriz, conhecida no cenário nacional e internacional. Esta é a principal função da Secretaria de Desenvolvimento Econômico que é liderada pelo empresário, Sabino Costa. A Revista Yes Negócios, em sua segunda edição, traz uma entrevista exclusiva com o Secretario. Você vai saber como funciona a Secretaria, como e quais os incentivos para o capital das grandes empresas e conhecer quem é Sabino Costa.

P: Como funciona a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Imperatriz?
SABINO: A Secretaria é focada no atendimento adequado aos investidores. Esta administração entende o papel do investidor no desenvolvimento da cidade. Nós estamos trabalhando no sentido  de proporcionar as melhores condições para aqueles que escolhem Imperatriz para aplicar seus investimentos. Temos que estar antenados com estes agentes e mostrar Imperatriz como cidade pólo.
Procuramos fazer ver aos investidores que, se optarem por Imperatriz, terão todo o apoio que estiver ao alcance do poder público, dentro da legalidade, para que possam aportar aqui seus investimentos. Fazer ver a importância do investidor no processo de desenvolvimento. Mostrar aos investidores que seus investimentos serão bem-vindos aqui.
Desenvolvemos no ano passado uma lei, em que dentro das nossas possibilidades, ofertamos alguns benefícios  aos investidores. Hoje é comum as empresas compararem os custos de instalação, principalmente do ponto de vista da tributação, de uma localidade para a outra. Essa é uma questão tecnicamente avaliada.
Desenvolvemos com outros parceiros de administração, principalmente a Procuradoria e a Secretaria da Fazenda criamos este mecanismo que possibilita aos novos investidores obterem benefícios, principalmente no ISS.

P: Como funciona?
SABINO: Uma grande indústria quando se instala, a Suzano, por exemplo, que é o maior investimento privado do maranhão hoje. Nós ofertamos para este investimento como acabei de falar, a Suzano, uma redução do seu ISS, dos seus prestadores de serviço. O ISS vai afetar o processo de construção da fábrica. Então os prestadores de serviço da Suzano terão uma alíquota diferenciada do ISS, para 2%. Estes são benefícios que ajudam a atrair investidores para a nossa região.
As outras ações são os telecentros, que trabalham com a inclusão digital em parceria com o Governo Federal. A gente procura quem tem o espaço, contratamos os instrutores e sedemos os equipamentos. Assim proporcionamos o primeiro contato das pessoas com o mundo digital.
O programa de microcrédito com o banco do nordeste visa fomentar aos pequenos empreendedores, pessoas que estão na informalidade, acesso ao crédito, Cred Amigo, do branco do nordeste. Enfim, isto fomenta bastante a economia local, estas pessoas mesmo na informalidade podem ter acesso ao crédito e depois se formalizar.

 P: A cidade de Imperatriz já viveu por diversos ciclos desde sua fundação. Já vivemos o ciclo do arroz, o ciclo da Madeira, da borracha e vários momentos de grande desempenho econômico. Como você classifica o atual momento, pelo qual, passa Imperatriz?
SABINO: Temos vivido um momento diferente do resto do estado. Na minha percepção é como se o maranhão estivesse adormecido economicamente é fosse redescoberto, isso pelo volume de investimentos que estão aportando no estado. Em imperatriz, não é diferente porque é uma cidade que tem algumas características que lhe são peculiares, a principal delas é que somos uma cidade pólo.
O que significa ser uma cidade pólo, vivemos não só do mercado local. Imperatriz é uma cidade que tem mais de 250.000 habitantes e atende uma população de mais ou menos, um milhão de habitantes, que vivem no seu entorno, num raio de mais ou menos 150 quilômetros.
Então, essa população utiliza os produtos e os serviços que imperatriz oferece, esta é uma característica muito importante. Se fossem apenas nossos 250.000 habitantes, certamente isso não seria suficiente para dar esta força, este dinamismo que a economia de Imperatriz possui. Ela vem desta característica, ser uma cidade pólo.
Nós temos aqui na área de serviços somos um pólo atacadista, há mais ou menos 20 anos, um setor de atacado muito forte em Imperatriz. São empresas, distribuidoras de produtos que a partir de Imperatriz fazem seus produtos chegarem a um raio de 1.000 a 1.200 km. Ainda na área de serviços, temos um pólo consolidado na área de saúde, com bons médicos, bons hospitais e boas clinicas. Isto faz com que esta população, do entorno de Imperatriz, busque este serviço aqui.
Outro fator importante é a consolidação do pólo de educação, ao invés de um campus da Universidade Federal e um da estadual, temos mais quatro faculdades particulares. Todas juntas trouxeram uma gama de cursos e possibilitaram, não só a população de Imperatriz, mas a população do entorno vir aqui e estudar.
Os ciclos mudam, agora não. Nós estamos num processo de desenvolvimento muito mais forte e estruturado, quando uma indústria do porte da Suzano vem para Imperatriz, isso tem um enorme reflexo econômico, ela não vem para ficar pouco tempo, a estadia aqui a de ser eterna. Então este é um momento e não um ciclo. Eu acho que ele não tem data para acabar.
  
P: A Suzano papel e celulose instalará sua fabrica em Imperatriz gerando milhares de empregos, diretos e indiretos, como a Secretaria de Desenvolvimento Econômico tem pensado para que a mão-de-obra seja assegurada para o trabalhador local e não para a mão-de-obra externa?
SABINO: Tanto o governo municipal, como o governo estadual quando concedem benefícios exigem as contrapartidas.  Uma das contrapartidas que nós exigimos é que seja utilizado o maior contingente de mão-de-obra local. Tanto é verdade que já esta em andamento, junto ao IFMA e em parceria com Suzano, o curso para técnico de papel em celulose. Os alunos estudam em tempo integral e recebem uma bolsa por isso. O processo de escolha dos alunos foi um seletivo, é claro, ma o curso é aqui em Imperatriz, visa treinar e prepara técnicos locais, para que possam amanhã trabalhar na operação da fábrica.
Na fase de construção, no pico que será em 2012, deverão ser gerados em torno de 7.000 empregos diretos. Na fase de operação da fábrica, entre empregos diretos e indiretos, serão entorno de 1.000 funcionários. Além disso, a Suzano criou o Programa Capacitar, em parceira com empresas de Imperatriz. Este programa visa capacitar a mão-de-obra que será utilizada na construção fábrica.
Sobre a qualificação a Secretaria e a prefeitura buscam sempre qualificar nossa mão-de-obra.  Nós temos convênio com o Ministério do Trabalho e Emprego, buscando recursos, o problema é que você tem uma grande mão-de-obra, mas infelizmente é desqualificada.

P: Como tem sido o planejamento para combater o desemprego?
SABINO: O desemprego a gente combate, também com investimento. O melhor investimento, a melhor forma de combater o desemprego é procurar atrair os investidores. É isso que a administração tem feito diuturnamente, ligada, fazendo sempre uma prospecção. O exemplo concreto é a instalação da Suzano. Desde que foi eleito, o prefeito Madeira, procurou trazer os grandes investimentos para Imperatriz. Nós sempre procuramos mostrar os atrativos de Imperatriz, para os investidores.

P: Que outras ações a prefeitura e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico tem feito para atrair novos investimento e empresas para Imperatriz?
SABINO: Criamos no aspecto legal uma legislação (Lei Complementar Nº 003/2010) que traz alguns benefícios que outras cidades no Brasil trazem, então procuramos nos colocar em igualdade de condições. Se a empresa analisar Imperatriz, ela vai analisar a logística, a mão-de-obra, os custos e uma série de fatores para ver a viabilidade.
Dentre os fatores observados estão os benefícios fiscais. Se no estado há benefícios fiscais e neste município, tem algum beneficio. Então, é por isso que criamos no âmbito da Secretaria e do município um programa, uma lei de incentivo econômico para a cidade de Imperatriz. Este é um fator muito importante, para que o investidor entenda, que estamos dispostos a fazer o que for possível para que eles sediem aqui seus investimentos.

P: Imperatriz tem passado por grandes transformações nos últimos anos, por que além de ser uma cidade com grande influência comercial, também tem sido alvo de grandes investimentos na área da construção civil. Como o governo municipal esta se preparando para a recepção destes investimentos, como a cidade tem sido planejada, como tem sido as ações para a recepção destes investimentos?
SABINO: Todo o corpo da prefeitura tem essa preocupação. Primeiro não porque estão acontecendo todos estes investimentos na construção civil, na minha visão, primeiro porque nos tínhamos uma demanda reprimida. Imperatriz passou mais de uma década sem ser construído basicamente nada de volumoso, do ponto de vista da habitação, em qualquer área. Depois de mais ou menos uma década começou o processo de verticalização.
A construção de edifícios é uma tendência de todas as grandes e médias cidades. Eu acho que o programa habitacional do governo, face a estabilidade econômica possibilitou as pessoas vislumbrarem trocar o aluguel por um imóvel seu. Este ano entre casas e apartamentos fechados na planta, temos quase 3.000 apartamentos para serem entregues. As condições favoráveis de financiamento e a demanda reprimida são na minha visão os dois fatores responsáveis pelo grande aumento da construção civil em Imperatriz.

P: Nos últimos anos grandes empresas de setor atacadista se instalaram em Imperatriz, a que se deve este fenômeno?
SABINO: Isto se deve a força do nosso comércio, nos últimos anos tivemos no Brasil o aumento da renda da população, principalmente da população que tinha uma renda menor. Com  renda maior, esta faixa da população, procurou suprir a sua maior e principal necessidade que é a alimentação, isso faz crescer o setor.
Existem hoje as empresas do chamado atacarejo, vendem tanto no atacado quanto no varejo. Estes investimentos se devem ao potencial de Imperatriz, as empresas  vem, fazem pesquisa e vêem que há mercado consumidor para seus produtos e então instalam suas empresas. Tanto isso é fato que todos os dias há anúncios de novas lojas deste setor. Quando vamos às lojas observamos sempre os caixas lotados.
Então isso é reflexo do aumento da  renda dessa  população, antes de baixa renda e ao fato de sermos uma cidade pólo, ou seja, diversas pessoas do entorno de vem a Imperatriz para fazer outras coisas e acabam consumido os produtos dos supermercados.

P: As médias e pequenas empresas são responsáveis por grande participação na economia nacional, como tem sido o tratamento das empresas deste porte em Imperatriz?
SABINO: A gente procura dar importância ao investimento maior, pelo maior volume de empregos que gera. Para nós é importante trazer este investidor de fora, para investir seu capital na nossa cidade. Os pequenos e médios empresários locais tem uma boa cobertura, que é a cobertura dada pelo sistema das micro e pequenas empresas. Elas têm tratamento tributário diferenciado, o que é muito importante porque normalmente o grande empreendedor nasce ai.

P: O desenvolvimento sustentável é tema central nos grandes países, ou seja, como crescer economicamente sem destruir o meio ambiente, preservando a natureza e melhorando a vida no planeta. O que o governo tem feito neste sentido, de se desenvolver economicamente, sem destruir e agredir a natureza?
SABINO: Isto está na pauta da empresa de qualquer porte, a sustentabilidade. A sustentabilidade está no pilhar mais importante, que é o pilhar de você entender que precisa usar racionalmente os recursos naturais. Não há como desenvolver o país, uma região, sem fazer uso dos recursos naturais. O que não tínhamos antes era a preocupação.
A prefeitura não pensa diferente dos outros, porque é um agente político e público e tem procurado fazer esta discussão com as empresas. Isso, porém é um processo cultural, ele é lento e constante, todavia, estamos evoluindo.
As discussões hoje estão nas escolas, quando se fala de lixo, do local apropriado para depositar o lixo, isso é contribuir de uma forma simples para a sustentabilidade. Isso é um processo e tem que nascer, no meu entendimento, na base. Deve nascer nas escolas, para que os filhos ensinem os pais, os avôs e a partir disso a gente com certeza vai ter amanhã uma cidade melhor.

P: Existe em Imperatriz alguma lei que regulamenta esse assunto, crescer de forma sustentável, ou seja, a empresa chega se instala, produz, lucra e em contra partida ajuda a proteger o meio ambiente?
SABINO: Nós cobramos isso das empresas, não formalmente, mas nas discussões isso é cobrado. Toda grande empresa entende que são importantes os investimentos sociais, porque nós temos muita carência e muitos problemas. Então, a Suzano vai ter os investimentos dela na área social, cada empresa escolhe onde quer investir.
A prioridade da Suzano, por exemplo, é a educação. Ela vai fazer alguma coisa na área educacional, deverá construir uma escola em tempo integral, em parceria com o município. Assim, se cada um, se cada empresa, se cada agente econômico fizer uma pequena parte, com certeza vamos conseguir melhorar esta relação, equilibrar mais esta relação. De certa forma tudo isso contribui para a sustentabilidade, se não do ponto de vista do planeta, mas de um ponto de vista social.

P: Diversas cidades lançam campanhas publicitárias com pontos turísticos, belas paisagens e locais para atrair turistas e visitantes. A gestão Madeira faz ou pretende desenvolver o turismo local a fim de atrair pessoas e investimentos de outros locais?
SABINO: O turismo que nós temos aqui é o turismo na área de negócios. Nossa cidade não tem muitos atrativos a oferecer, por ser uma cidade urbanamente desestruturada, onde tudo há o que se fazer, nós temos pouco a oferecer e do ponto de vista natural.
A única maravilha natural que poderia estar atraindo turistas é o rio Tocantins, que é onde a cidade deposita grande parte de todo o seu esgoto. Não há uma estrutura de saneamento adequada para o tratamento dos resíduos.
Agora na área de negócios nosso turismo é forte, haja vista, que nos temos três ou quatro hotéis sendo construídos porque os que temos atualmente não atendem a demanda. Estes estão permanentes lotados, a mais de dois anos. São as pessoas que vem de fora, para trabalhar em Imperatriz, para prospectar, tratar de negócios entre outras coisas relacionadas aos negócios. Neste turismo estamos bem, no outro, turismo de lazer não.

P: Quais as novas empresas que estão chegando a Imperatriz?
SABINO: Na área imobiliária temos vários. “A Dimensão”, que está construindo mais de 1.000 apartamentos para venda, a preços relativamente baixos. Outra grande empresa imobiliária é o consorcio da “Meta com a Franelli” que vão entregar mais de 1.000 apartamentos, próximo a Beira Rio.
Temos praticamente assegurado, apalavrado e em fase de andamento, a construção de uma fábrica da Coca-Cola, que ainda este ano iniciará suas atividades de terraplanagem. A fábrica da Coca-Cola é um investimento muito importante, porque a área industrial é a área em que nós somos mais carente, veja, vamos bem no comércio, bem na prestação de serviços, mas na área industrial não temos muito a oferecer.

P: Como Sabino Costa vê o futuro econômico de Imperatriz?
SABINO: Com muito otimismo. Eu acho que a gente vive um momento muito feliz, muito oportuno, a cidade está numa efervescência muito grande. Isso é percebido mais rapidamente quando conversamos com pessoas não vivem aqui, nós que estamos aqui cotidianamente não percebemos a diferença, como quem passa seis meses ou um ano sem vir aqui.

P: Fale um pouco de você, quem é Sabino costa?
SABINO: Eu sou piauiense, nasci em Floriano, Piauí. Estou em Imperatriz, desde 1993. Vim aqui com o desafio de dirigir uma loja de medicamentos, A Loja de Variedades, empresa do Grupo Jorge Batista. O que seria um trabalho transitório se transformou num trabalho permanente e continuo, até hoje estou nesta empresa.
Sou eminentemente da iniciativa privada e a minha inserção na administração do prefeito Madeira se deu pelo um convite do prefeito. Eu imagino que o prefeito quisesse, nesta pasta, alguém da área empresarial que tivesse a visão, para promover em Imperatriz a atração aos investimentos externos.
Acho que ele vislumbrava esta necessidade de atrair os investidores, então o principal trabalho que nós fazemos com muito prazer é este. Do ponto de vista pessoal, o que me fez aceitar foram dois fatores: primeiro, acho que nos devemos retribuir a oportunidade que a cidade nos deu, enquanto grupo econômico ajudando a cidade a crescer; segundo, a credibilidade do prefeito Madeira, e a honra que senti ao ser cogitado para exercer tal função com a gestão Madeira. Sabemos que nunca fazemos tudo, temos várias limitações, mas estou satisfeito com o desempenho da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. 

Painel discutiu oportunidades para as micro, pequenas empresas e empreendedores individuais

            congresso

 
Na parte da tarde do primeiro dia do XVIII Congresso Brasileiro de Micro Empresa e do XII Congresso Estadual de Micro e Pequenas Empresas de Pernambuco, o público conferiu o painel sobre “O Desenvolvimento do estado de Pernambuco e as Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais”.
Os palestrantes deste painel foram o secretártio do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo de Pernambuco (STQUE), Antônio Carlos Maranhão, o presidente da Agência de Fomento de Pernambuco (AGEFEPE), Agnaldo Nunes de Souza, o presidente da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (ADDiper), Márcio Stefanni e o gerente Geral de Articulação Institucional da Secretaria Extraordinária da Copa 2014, Ciro Pedrosa.
O secretário da STQUE, Antônio Carlos Maranhão apresentou os principais programas e projetos que o Governo do Estado está desenvolvendo. Entre eles o destaque foi dado ao Projeto Idéia e também a Rede de Apoio ao Empreendedorismo que será lançada no próximo ano. “O objetivo desta rede é fazer com que os micro e pequeno empreendedores de Pernambuco se tornem fornecedores dos projetos estruturadores que estão chegando ao Estado”, explicou.
Ainda durante este painel, os empresários presentes puderam também saber mais sobre a Agência de Fomento criada recentemente pelo Governo. De acordo com o presidente da AGEFEPE, Agnaldo Nunes, a instituição nasceu como mecanismo facilitador de acesso ao crédito. “Esta instituição financeira foi criada para atender as ME e EPP. O nosso objetivo maior é apoiar os empreendimentos locais com vista à internalização dos efeitos dos grandes investimentos”, frisou Nunes.
Sobre as oportunidades para as ME e EPP, no que diz respeito à Copa de 2014, o representante da SECOPA, Ciro Pedrosa falou dos benefícios que o Estado tem a ganhar com o advento deste mundial, como é o caso do sistema viário, que está em processo de expansão, a nova centralidade urbana, que passou a ter a área oeste da cidade como pólo de crescimento e desenvolvimento.
Outro ponto abordado foi o legado que a Copa deixará para Pernambuco, como é o caso da Cidade da Copa, que contemplará a população com uma enorme estrutura de centro de convenções, hotel, campus educacional, escritórios, além da Arena Pernambuco.

Cenário nacional das microempresas, normas de contabilidade foram alguns dos assuntos do segundo dia do Congresso Brasileiro



                   Luis_Nassif     
Um resgate histórico, político e econômico sobre o cenário nacional das microempresas e empresas de pequeno porte foi feito pelo jornalista e diretor da Agência Dinheiro Vivo, Luis Nassif durante a palestra magna ministrada no segundo dia do XVIII Congresso Brasileiro de Micro e Pequenas Empresas.

Foi apresentado aos empresários presentes o papel relevante e estratégico do segmento para o crescimento do País.Além disso, Nassif também pontuou os principais desafios das ME e EPP. “Várias questões ainda são um enorme desafio para este segmento, mas é importante prioriza a gestão, o associativismo precisa ser uma cultura mais disseminada entre as microempresas, é preciso também montar modelos de negócio, assim como de comercialização. Outra ferramenta que deve ser vista como ponto forte para as ME e EPP é a comunicação e o marketing”, enfatizou.
Fundos

Ao final da palestra magna, o diretor da Secretaria de Fundos Regionais e Incentivos Fiscais do Ministério da Integração Nacional, José Wanderley Uchoa Barreto explanou para o público sobre os “Fundos Regionais e Incentivos Fiscais”. Os mediadores deste painel foram o presidente da FEMICRO/MG, Marcio Kilson, o secretário Geral da FEMICRO/PE, Fernado Guerra, o presidente da FEMICRO/BA, Moacir Vidal e a presidente da FEMICRO/CE, Dalvani Mota.

José Wanderley enfatizou que os fundos constitucionais devem sempre beneficiar os micro e pequenos negócios. E a partir daí, explicou passo a passo como funciona este fundo e que atividades são financiadas por ele.
Encerrando as atividades da manhã, o Painel “As Novas Normas de Contabilidade para as Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais” foi ministrado a fim de esclarecer várias dúvidas do segmento.
Ministrado pelo vice-presidente de Fiscalização do CRC/PE, José Eraldo Lúcio de Oliveira e pelos contadores e consultores da FEMICRO/PE, Gleyson Vitorino e Roberto Aragão, o painel explicou para os empresários como devem ser conduzidas as questões burocráticas de uma empresa, assim como quais impostos devem ser recolhidos, entre outros.  Após as explanações, os empresários puderam fazer perguntas aos palestrantes.
DSC_3138

sexta-feira, novembro 04, 2011

1º Dia do XVIII Congresso Brasileiro de Microempresa é um Sucesso

Mesa_Completa
A XVIII edição do Congresso Brasileiro de Micro e Pequenas Empresas começou nesta quinta-feira (3) com o auditório Manoel Bandeira, do Mar Hotel totalmente lotado. Aproximadamente 640 empresários de vários estados e município de Pernambuco participaram do evento.
Na Solenidade de Abertura, o presidente da COMICRO e da FEMICRO/PE, José Tarcísio da Silva saudou todos os participantes e fez um breve resgate dos avanços do segmento. Além disso,  frisou que as ME e EPP devem ser avaliadas de duas formas; uma antes da criação da Lei Geral e outra após.
“Muitos avanços foram obtidos pelo segmento com a chegada da Lei Geral. Um destaque deve ser dado ao Simples Nacional. Com a sua criação, o sistema tributário foi simplificado e desburocratizado, além disso, houve também a unificação dos impostos”, enfatizou Tarcísio.
As microempresas e empresas de pequeno porte, hoje, são o segmento que mais gera empregos e distribui renda. Hoje mais de 5 milhões de empresas são optantes do Simples Nacional.
Participaram da mesa de abertura os senadores Armando Monteiro e José Pimentel, os deputados Federais Pedro Eugênio, Pepe Vargas e |Taumaturgo Cordeiro, o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, o presidente da FIEPE, José Corte Real, o secretário do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo de Pernambuco, Antônio Carlos Maranhão, o diretor do Departamento de ME e EPP do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Nunes, o presidente da AGEFEPE, Agnaldo Nunes, o presidente da OAB/PE, Henrique Mariano e os representantes da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste.
DSC_2960
        Painel I: Ações do Congresso Nacional para as Micro e Pequenas Empresas

Para dar início aos trabalhos do primeiro, os parlamentares José Pimentel, Armando Monteiro, Pepe Vargas e Pedro Eugênio apresentaram para os participantes as diversas ações, que o Congresso Nacional fez e vem fazendo a favor do segmento. Também foram convidados para compor a mesa o deputado Estadual, Sérgio Leite, a presidente da FEMICRO/CE, Dalvani Mota e o gerente da Unidade de Políticas Públicas do Sebrae Nacional, Bruno Quick. O painel foi mediado pelo presidente da COMICRO e FEMICRO/PE, José Tarcísio da Silva.

O senador Armando Monteiro começou sua fala enaltecendo o trabalho do presidente da COMICRO. "O Tarcísio é um militante incansável em favor das micro e pequenas empresas. E tenham certeza que com ele o segmento só tem a ganhar". A respeito dos desafios do segmento, o senador ressaltou a questão das compras governamentais, que mesmo apesar de ter crescido, precisa ainda mais de visibilidade.

O presidente da Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa e também deputado Federal, Pepe Vargas falou das alterações da Lei Geral e do Empreendedor Individual. "O Super Simples foi criado em 2007 e proporcionou uma reforma tributária ao segmento das ME e EPP, simplificando o sistema tributário e diminuindo os impostos.", ressaltou.
Além disso, o deputado fez uma avaliação do crescimento das compras governamentais. Antes e depois da Lei Geral.  Em 2006, as ME e EPP venderam para o governo cerca de 2,6 bilhões. E após a criação da lei, que deu prioridade ao segmento, as ME e EPP venderam em 2010, cerca de 15,9 bilhões.

O deputado federal, Pedro Eugênio enfatizou a necessidade da organização e da representação das microempresas e empresas de pequeno porte. Outra ressalva feita por ele, foi a necessidade da COMICRO ocupar um assento no Conselho Deliberativo do Sebrae, visto que é a entidade que representa o segmento em caráter nacional.
O deputado Estadual de Pernambuco e coordenador da Frente Parlamentar no Estado, Sérgio Leite falou da importância de se ter este espaço em Pernambuco. “É a partir das Frentes estaduais, que as necessidades do segmento são traçadas e repassadas para Frente Parlamentar Mista”.
Já o senador José Pimentel abordou os desafios das microempresas e empresas de pequeno porte para o próximo ano. “Já conseguimos muitos, mas ainda precisamos batalhar por outras questões, como é o caso do tratamento diferenciado do IPTU das microempresas inseridas no Simples Nacional”, enfatizou.
Ao final do painel, o presidente da COMICRO homenageou os senadores Armando Monteiro e José Pimentel e os deputados Federais Pepe Vargas e Pedro Eugênio pelo trabalho que vem sendo realizado em favor das microempresas e empresas de pequeno porte de todo o Brasil.

É nesta quinta-feira (3) a XVIII edição do Congresso Brasileiro das Micro e Pequenas Empresas

     pro_site
Durante o evento, microempresários, empresários de pequeno porte e empreendedores individuais de vários estados do país estarão reunidos para discutir entraves e políticas públicas para o segmento.
 

Pernambuco está vivendo um momento único de crescimento e desenvolvimento, onde diversas oportunidades aportam nas várias regiões do Estado. E para que as microempresas, empresas de pequeno porte e empreendedores individuais também estejam inseridos neste crescimento, a COMICRO em parceria com a FEMICRO/PE vai promover o 18º Congresso Brasileiro de Micro e Pequenas Empresas e o 12º Congresso Estadual de Micro e Pequenas Empresas, nos dias 3 e 4 de novembro, no Mar Hotel, em Boa Viagem, no Recife, Pernambuco.

O objetivo de realizar tais eventos é o de disseminar informações atuais e relevantes ao segmento, como também de discutir, avaliar e propor políticas públicas e deliberar ações em favor do desenvolvimento das ME, EPP e EI. 

Os senadores José Pimentel e Armando Monteiro Neto, os deputados Federais, Pedro Eugênio e Pepe Vargas, o secretário Executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional da Receita Federal, Silas Santiago, entre outros são alguns dos nomes confirmados para o Congresso Brasileiro.

As inscrições podem ser feitas pelo site da COMICRO (www.comicro.org.br) e também pelo site da FEMICRO/PE (www.femicro-pe.org.br). Mais informações pelo telefone (81) 3231.2560.


Programao_Site


quinta-feira, novembro 03, 2011

Primeiro dia de Congresso Brasileiro de Microempresas do Sistema COMICRO


SEJAM TODOS BEM VINDOS AO GRANDE EVENTO DE CONFRATERNIZAÇÃO DOS MICROEMPRESÁRIOS DO BRASIL

Flavio Oliveira - Presidente da Amicro Imperatriz representa os Microepresarios do Maranhão nesse grande evento




Mais de 600 pessoas no evento de 22  estados







Tudo muito bem organizado em um dos melhores Hotéis de Recife









Presidente do SEBRAE elogia o movimento das microempresas e participa da abertura do evento

Senadores e deputados participam da abertura do evento e apoiam o movimento das microempresas no Brasil









Email

Onde já estive